segunda-feira, 23 de setembro de 2013

SUA MORTE

SUA MORTE

Me lembro de todos os momentos
e detalhes que levaram você
a morrer dentro de mim

O que sobrou de você
Me importa muito pouco
Nem vou querer saber
Essa coisa encostada
muito espinho, pouca flor
pouco senso
pouco amor

Sua falta de fé
seu gosto por migalhas
O seu mundo emprobrecido
Sua cor opaca.
fogo de palha

Nunca te vi desenhar nos céus
ver imagens nas nuvens
Se lançar pra vida
rasgar os sete véus

Sua morte em mim
era anunciada
morte presumida

me senti alegremente aliviado
diante da sua sepultura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário