segunda-feira, 23 de setembro de 2013

MORENA

MORENA

Quando conheci morena
Meu instante de pecado
Como se visse um poema
Cor canela amorenado

Não esqueço aquela cena
Vi sua pele escurecida
De quando avistei morena
Minha deusa prometida

Seu sorriso ancoradouro
A mulher de cor trigueira
De uma beleza profunda
Tão bonita, tão faceira

Morena é nome de bicho
De canção, de passarinho
Quero morar em seu colo
Lá quero fazer meu ninho

Morena da cor da tarde
Quando o sol está a se por
Morena é nome de dança
Me embriaga seu calor

Morena é minha miragem
Minha centelha divina
Sua cabeleira de trança
Doce morena menina

Sinto saudades do futuro
Projetado em minha mente
Abraçado a essa morena
Bronzeada permanente

Nenhum comentário:

Postar um comentário